Quais são as diferenças entre ensino remoto e EAD?

18 de agosto de 2020 3 mins. de leitura
Apesar de utilizarem o ambiente virtual, o ensino remoto e o EAD têm diferenças fundamentais que começam no planejamento

Em virtude da pandemia do novo coronavírus, diversos setores precisaram buscar soluções para cumprir as medidas de isolamento social necessárias para conter a contaminação. Nesse cenário, instituições de ensino público e privado precisaram readequar seu modelo de ensino para o momento. 

O Estadão Summit Educação 2020 será online e gratuito. Inscreva-se agora!

As aulas e as demais atividades precisaram migrar para o ambiente virtual, o que exigiu que professores, pais e alunos se adaptassem a uma realidade totalmente nova em pouco tempo. 

Com todas essas mudanças, muitas pessoas passaram a caracterizar o ensino remoto emergencial como Ensino a Distância (EAD), mas os dois modelos não devem ser confundidos. Entenda as diferenças entre eles.

Elaboração de planejamento 

mulher estudando na frente do computador
O ensino remoto emergencial foi aprovado diante da pandemia. (Fonte: Pexels)

O atual ensino remoto é uma medida temporária aprovada pelo Ministério da Educação (MEC) para garantir o funcionamento do ano letivo sem expor as pessoas à contaminação pelo vírus. O modelo consiste basicamente na transferência do ensino presencial para a plataforma digital.

Já o EAD é um modelo de ensino remoto com planejamento e funcionamento próprios. A abordagem pedagógica dos conteúdos é planejada especificamente para a educação a distância, assim como o cronograma de atividades, as avaliações e o atendimento de dúvidas. 

Uso de plataforma

estudando na frente do computador
O EAD tem uma estrutura virtual mais sólida do que o ensino remoto emergencial. (Fonte: Pexels)

Com a mudança repentina, não houve tempo para a estruturação de um ambiente online para o ensino remoto emergencial. Dessa forma, muitas instituições utilizam salas de aula virtuais como o Google Classroom, plataformas de videoconferência como o Zoom e até aplicativos de mensagens como o WhatsApp. 

Participe de debates que vão discutir o futuro da educação. Inscreva-se gratuitamente.

Porém, como essas aulas não foram criadas para esse ambiente, a rotina pode ser atravessada por diversas dificuldades de acordo com a realidade de cada aluno.   

É aí que entra a diferença para a modalidade EAD, que conta com um ambiente virtual estruturado, o que garante o acesso de vários alunos, assim como armazenamento de vídeos, atividades e fóruns de discussão. Com a estrutura definida previamente, o aluno pode se preparar para acompanhar as aulas de acordo com a própria rotina. 

Estrutura dos modelos

homem estudando na frente do computador
O ensino remoto tem estrutura similar à do presencial. (Fonte: Pexels)

No ensino remoto emergencial, a relação com o professor em sala de aula continua a mesma, só que por meio dos aplicativos. Também não existe um padrão predefinido das avaliações e dos conteúdos, já que eles são criados pelo professor da disciplina de acordo com as aulas. 

Na modalidade EAD, existem os professores que ministram as disciplinas e os tutores, que são responsáveis por tirar dúvidas. A interação com eles não é a mesma que se tem no ensino presencial. 

Já as avaliações e o material didático são elaborados de forma padronizada, assim como as videoaulas, que são distribuídas para as unidades de ensino. 

Fontes: Uninassau, Unicesumar, Desafios da Educação, Unisantanna e Cesusc.

Gostou? Compartilhe!